Category Archives: Contos Eróticos Gay

ARREGAÇADO PELOS POLICIAIS

Sou um belo exemplar de macho mas, curto uma boa caceta. Moreno, carioca, 1,79m, 78k, atlético, cabelos e cavanhaque grisalhos, pica 19cm e uma bunda carnuda e roliça, digna de causar inveja a muitas mulheres.

  Moro próximo a uma quadra de escola de samba muito tradicional, carioca e apesar de não ser grande apreciador, vez ou outra marco presença por insistência dos amigos que sempre ganham convites para o camarote e me convidam. 

Sabado passado, havíamos marcado de nos encontrarmos na porta da quadra e como moro perto, fui caminhando e também pelo fato de saber que iria cair na cervejinha, “bebida típica e tradicional de  samba”, não tirei o carro da garagem.

  Entramos, curti um pouco e quando foi por volta de umas duas horas da madrugada, saí a francesa pois, se dissesse que iria embora, não me deixariam.

  Vou caminhando distraidamente  e sob o efeito de algumas cervejas e caipirinhas e ao cruzar uma praça de grande extenção, reparo uma viatura (camburão), com quatro policias estacionados discretamente em uma parte sem iluminação no canto da praça.

  Ao  perceberem a minha presença, um deles me chamou e perguntou de onde eu estava vindo, respondi de imediato demosntrando uma certa “viadagem” :

  -” Senhores, infelizmente estou vindo da quadra do samba  sem nenhuma companhia, para apagar o meu fogo !!!

  Eles logo perceberam o que eu queria insinuar e disseram:

  -“Como bons policiais, estamos aqui para satisfazer os desejos de um cidadão e vamos apagar o seu fogo. Me levaram para tras da viatura, abriram a porta traseira e ali, colocaram os seus cacetes para fora e me mandaram mamar. Fiquei atônito com tanta rola caralhuda em minha frente me proporcionando uma visão magnífica e tentadora!!!

  Caí de boca na primeira que se aproximou primeiro e não perdi tempo, chupando como uma putinha obdiente que sou e devassa, enquanto os outros já iam arreando as minhas calças e alisando a minha bunda, eu ia mamando até arrrancar golfadas profundas em minha garganta de um leite quente e cremoso.

  Mal um deles tirou o pau já limpinho e brilhando da minha boca pois, não deixei escapar nenhuma gota se quer, já apareceu outro querendo se alojar na minha boquinha gulosa após ouvir o comentário do amigo já satisfeito elogiando o meu boquete.

  Um outro, mulato e com um cacete descomunal, veio por tras de mim, cuspiu no meu cu e de uma só vez introduziu uma jeba de uns 19 cm em meu rabo, fazendo me gemer alto.

  Depois de algumas estocadas profundas inundou o meu rabo de porra e ao retirar o cacete, o colocou em minha boca junto com a outra pica que eu ainda mamava e dizia:

  -“Mama gostoso sua bicha, deixe a pica limpinha como você a  encontrou !!!

  O outro, ficou mais excitado ainda e gozou e acabei levando duas esporradas concecutivas na boca.

  Meu cu nestas alturas dos acontecimentos, se encontrava todo esporrado e o meu cavanhaque com algumas gotas de porra.

  Não tive tempo de me refazer, pois o melhor, ainda estava por vir. Um negão, o sargento da equipe que mais parecia um gorila com quase dois metros de altura e um caralho que mais parecia um cacetete(olhem que sou experiente em piroca, mas a dele, me assustou pelo tamanho e expessura, uns 22cm, sem exageros) falou:

  -“Agora é a minha vez !!!”

  Pegou me pelos quadris, apoiou me na beira da viatura com as portas abertas e disse:

  ” – Vocês já se divertiram, agora cheguem pra mais adiante e me deixem gozar tranquilo e sem platéia, pois eu vou fazer um estrago neste cu e quando estiver quase gozando, chamo vocês para testemunharem.

  Os outros três seguiram pra frente do camburão ajeitando os uniformes e dexaram me a merce do sargento negão.

  Ele começou a me beijar, chupar e a morder o meu pescoço, abrindo os botões de minha blusa, quase os arrancando e mordiscava os meus mamilos, causando em mim chupões que só vim a reparar quando em casa e sob a luz.

  Aproveitando que não eramos observados, me masturbava e dizia em meu ouvido palavras que me fizeram gozar de imediato com a sua punheta em mim:

  -“Sua bicha, que pena que não estamos somente nós dois, pois tens um cacete muito bonito e ia querer senti lo dentro de mim mas, não poçofaze lo agora, pois os meus subordinados estão aqui e não quero dar mole.

  Depois disso tudo, virou me bruscamente e atolou se de uma só vez em meu rabo e mesmo já estando todo esporrado e invadido pelos outros, me fez dar um grito tão grande que os seus colegas de farda rindo falavam:

  -”  Mais um cu detonado pelo sargento Brutus,(este era o seu apelido no meio da equipe)”.

  Eu querendo me esquivar e saí da reta, não obitive sucesso, ele além de ser muito mais forte e grande que eu, se alojou sôbre mim, se chance alguma de fuga.

  Cada estocava que dava, eu via estrelas, devido ao tamanho da rola dentro de mim. Levou uns dez minutos neste vai e vem e por fim quando prestes a gozar, chamou os amigos para perto de nós, tirou o cacete do meu cu e gozou na minha boca e no rosto, deixando me com a cara toda lambuzada com a sua grande quantidade de porra.

  Saí dali com as pernas bambas e agradecendo  aos policiais. Chegando em casa, é que pude perceber o fundo da minha cueca todo sujo com merda, porra e muito sangue. No bolço de minha calça, o cartão com o nome e número do telefone do sargento. E claro, nos encontramos depois somente nós dois, mais isso é uma outra historia real.

Trepei com meu primo de 13 anos, depois da punheta

sou adolscente, tenho 14 anos, bato punheta desde os 9. sempre gostei de meninas e talz, mas depois de 4 anos, batendo punheta todo dia, e sabendo que não ia comer algum amor tão cedo, vi uma hispotese perto de mim. eu e meus amigos sempre nos masturbamos lado a lado na boa… nunca nen demos bola pro outro, só ficavamos juntos conversando, vendo fotos, resolvi que isso podia dar mais prazer… 

o que eu vou contar aconteceu quando eu tinha 13, meu primo 12.

tenho muitos amigos que se masturbam junto comigo, uns 7 tipo agente senta um do lado do outro, ligamos em algum site de mulher pelada e começamos a bater punheta. mas tem um cara que eu vi que ia ser perfeito, meu primo, o marcos, o cara é loirinho, olho castanho claro, tem 1,70 eu tenho 1,85, é muito gente fina, tem 13 anos. o momento ideal foi na nossa casa de praia em são sebastião, a casa tem 5 suites individuais e cada quarto tem uma porta que dá pro jardim, eu e o marcos ficamos em um quarto sozinho. eu como sempre levei meu lap top, cheio de arquivos pornôs. ai agnt foi “durmir” e começamos né, a bater punheta, sem calça, mais de camiseta, e ficamos numa boa na mesma cama, com o lap top no criado mudo, batendo devagar pra curtir, ai ele tava contando que pego umas minas em bh onde ele mora… e eu falei que precisava perguntar uma coisa, falei assim: “marcos, é um segredo, eu quero saber c vc axa que tá errado… eu bati punheta com um amigo” ele flow “ah isso é normal”, eu falei “não eu bati pro meu amigo, e ele pra mim” ai ele parou de bater olhou pra mim, pensou um pouco e flow fingindo ser espontaneo “que bom que vc tmb faz isso, é claro que é normal” 

ai eu começei a tremer, nunca tinha feito aquilo.. fikei muito nervoso, mais com muita vontade de, sabe, ir além de mim no meu pau. eu flei “vamo faze então” ele tmb ficou um pouco nervos, era mentira a história de que ele ja tinha feito com amigos… ai ele flow “tá, tá bom…. como agente faz?” e ai ele me pegou! fingi naturalidade “ahh, como agente faz com nossos amigos, deita na cama” ele deitou super sem geito, eu ajoelhei do lado do cama, tirei a mão do pau dele e começei o vai e vem, de mão fechada… ele fechou o olho, e ficou queto, vi que ele tremia um pouqinho. depois de um minuto perguntei, “tá bom”, ele fez que sim, ele gemia, e fazi uma cara e eu achei que ele fosse gozar, “marcos tira a camiseta, pra c nun sujar a barriga, e me avisa quando c fôr…” ele tirou rapido a camiseta e ficou pelado, ele é surfista, então tem barriga tanquinho, admito que pela primeira vez me vi sintindo tesão por um h. ai ele ficou fazendo akela cara, segurou por mais uns 30 segundos e flow “vou gozar” e molhou minha mão e a barriga dele mesmo… se recuperou, deu um sorriso e falou “que tal hoje ao invez de fazermos maratona de punheta, fazermos um no outro vairas vezes?” eu ri e deitei no lugar dele, o lap top tava sozinho e ficava trocando de filme, ele começou, super sem geito, no começo nen achei tão bom, mas ai eu mostrei como eu queria… e ele começou a me masturbar, com a mão indo e vindo, e eu reparei que ele não tirava o olho do meu pau, e pau dele já tava duro de novo, feito uma rocha, tirei minha camiseta também, eu sou magro, tenho musculos até, mas o maximo em mim é meu pau, nakela época tinha 15cm por 14cm de espessura, um mostro perto do do meu primo, e a cabeça do meu pau é uma gigante, e ele ia e vinha até que eu gozei, mas gozei tanto que respingou na minha testa! juro!

ai ficou aquele clima… ele ficou lé parado, fui no banheiro me limpar com papel higienico, e ele ficou lá assistindo filminho…. adivinha o que aconteceu? meu lap top troca os filmes sozinhos, e eu ja que tava com vontade de exprimentar com h, tinha baixado varios filmes de mulekes batendo punheta, fazendo sexo…. eu chego lá tá passando filminho gay, ele olhou pra mim e falou “você vai além da punheta com seus amigos” eu fiquei parado e falei “sim” joguei, qualquer coisa eu falava “tava sendo ironico, porque é óbviu que não” mas aí ele, olhou pra mim arregalou o olho, e ficou 5 segundos parado, sem nenhuma firmeza falou “que legal, você é que nen eu, curte as mesmas coisa”. 

estava estabelecido o panico! os dois mintindo! ai eu falei, “quer fazer isso também” ele tava com o pau na mão, e eu vi o pau dele almentar, “é eu tenho pensado nisso”. ai apagamos a luz, só tinha a luz do dvd no quarto, e eu peguei o pau dele e dei uma lambida, o combinado era, um faz o outro também faz. então ele foi lá e também me lambeu, e ficou olhando meu pau, não aguentou e botou tudo na boca, e tirou, eu fiz o mesmo. começou ao pouco o vai e vem, que nen agente vê nos filmes.. e assim foi indo, até que gozamos um na boca do outro…. depois resolvemos

e foi uma noite longa…. vai ter mais!!!

15 aninhos, primeira vez com outro homem(dentro de mim)

Tenho 17 anos. o que conto agora ocorreu há dois anos, ou seja, eu tinha 15 anos. na época: 1,70m, 60kg, cabelos castanhos lisos, poucos pêlos, branco, uma bunda pequena, mas empinadinha, rosto angelical. havia, até então, apenas tido experiências com mulheres, sexo, só com uma.
hoje, não mudei muito, estou um pouco mais alto e um pouco mais encorpado.
costumava, há um tempo, me masturbar com um amigo do prédio, assistíamos filmes pornográficos, víamos revistas de mulheres peladas, mas cada um na sua, era algo hetero, desde que havíamos descoberto a masturbação. esse meu amigo, chamado andré, era um pouco mais velho, uma diferença por volta de 1 ano. ele era mais alto, mais forte, tinha um pau bonito, grande e grosso. nos últimos tempos, começava a perceber que sentia algo diferente quando via o pau de andré duro na minha frente. me parecia mais interessante que as revistas ou filmes, desejava tocar nele e fazer outras coisas com ele. em casa, quando me masturbava, pensava no andré, me excitava muito e gozava rápido. quando nos encontrávamos, já sentia dificuldade de esconder minha atração por ele. eu queria sentir ele dentro de mim. planejava agir, mas quando estava frente a frente com aquele pauzão, não conseguia fazer nada.
um dia, eu estava muito excitado, em casa, quando o andré me ligou me convidando para assistir um filme pornô novo que ele havia comprado, muita putaria e blá, blá, blá. fui determinado, era a hora de agir, matar aquela vontade que me perseguia. andré ligou o filme, tirou o pau duro das calças. ao ver a cena, já me excitei bastante. tomei coragem e perguntei se podia tocar no pau dele. ele, meio assustado, respondeu que achava que não tinha problema algum. peguei meio sem jeito, acariciei um pouco. comecei, então, a masturba-lo. ele, ofegante, ainda meio assustado, pedia para eu não parar porque estava bom. fui com a boca até o pênis dele e dei uma lambidela na cabeça. lambi seu pau todo, até o talo, enquanto, com a mão acariciava entre suas coxas e seu saco. abocanhei, então, seu pau todo. ele parecia não acreditar, mas assim como eu, estava nas nuvens. eu parecia sonhar, finalmente podia sentir aquele pau. comecei a chupar com vontade, olhava bem nos olhos de andré, ele se contorcia, até que inundou minha boca com sua porra. era a primeira vez que eu sentia aquilo, achei muito bom, engoli o máximo que pude, mas ainda vazou um pouco pelo canto a boca, ele gozava em grande quantidade, vários jatos. eu não havia gozado, mas me sentia muito bem. quando ele terminou de gozar, o clima ficou meio chato, ele não acreditava que havia deixado aquilo ocorrer e achava melhor nunca mais repetirmos. fingi concordar e pedi pra ele se acalmar, dizendo que se ele não quisesse, não ia se repetir. ele deitou, eu deitei do lado, um pouco afastado esperando que as coisas melhorassem. ele ligou o som, ficamos calados por um tempo, sérios. eu ainda estava excitado, tinha vontade de terminar o que havíamos começado. me aproximei e perguntei no ouvido dele se ele ia perder a chance de experimentar meu cuzinho. no momento, vi o volume subindo em sua calça, ele me olhou com uma cara meio indecisa. pensou. repentinamente, me puxou e me deu um beijo. adorei, nunca havia beijado outro homem. nos abraçávamos, nos beijávamos, ele me dava beijinhos no pescoço. tirei a camiseta dele, ele tirou a minha. levei a minha mão ao pau dele, coloquei pra fora da calça, abaixei a calça dele. enquanto nos beijávamos, eu masturbava ele. foi quando ele falou no meu ouvido pra eu ficar de quatro porque ele queria entrar em mim e que naquele dia eu seria só dele. me posicionei como ele pediu. ele tirou minhas calças, me deixou peladinho. empinei a bundinha. ele passou saliva nos dedos e passou no meu cuzinho, ficou penetrando o dedo no meu anelzinho, um, depois dois. eu estava adorando, dava gemidinhos e rebolava nos dedos dele. ele veio ao meu ouvidinho e disse que achava que eu já estava preparado. foi quando senti sua cabeça encostando na portinha. ele começou a forçar, eu empinei a bunda pra trás. pedi para ele penetrar. começou a entrar, doía um pouco, mas eu resistia e queria mais. ele foi enfiando aos poucos, eu gemia e pedia para que não parasse. depois de um bom tempo, envolvido pela dor e pelo prazer de finalmente sentir aquele pau me penetrando, andré veio ao meu ouvido disse que já estava todinho dentro de mim. olhei pra trás e não acreditei. realmente, havia entrado até o talo. pedi, então, para que fudesse meu cuzinho, bem gostoso. ele começou a movimentar-se dentro de mim, a princípio, lentamente. já não sentia tanta dor. rebolava em seu pau e gemia, pedindo que não parasse. começou a dar estocadas mais fortes e mais rápidas. fui às nuvens. gemia muito alto, rebolava muito e queria aproveitar ao máximo aquela pica dentro de mim. ele pedia para que eu gemesse mais. “não era isso que você queria? então tome! geme gostoso. sua bundinha é deliciosa”. “vai, andré, não pare, vai, assim…isso…vai…”. então, ele avisou que ia gozar. eu pedi para que enchesse meu cu com sua porra. em meio estocadas rápidas e meus altos gemidos: “ahhhh…”. andré inundou meu cuzinho com sua porra, eu, rebolando, ao sentir sua porra adentrando meu ânus gozei junto, muito. caímos os dois, deitados, apoiei minha cabeça em seu peito e ele me envolveu com seu braços. ele me elogiou, falando ao meu ouvido, disse que minha atuação havia sido muito boa e que não imaginava que meu cuzinho era tão bom. eu agradeci e disse que parecia estar em um sonho. ele disse que a partir de então eu seria a putinha dele. eu adorei a idéia e aprovei com um sorrisinho. foi o que realmente aconteceu, mas deixemos outras histórias para contos futuros.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: